História

A Paróquia de São Pedro Apóstolo, criada em primeiro de dezembro de 1926, é a 25ª em ordem cronológica da Arquidiocese de São Paulo. Mas em 1914 o prédio da igreja já estava sendo  construído, graças ao esforço de muitas pessoas. Entre elas, Eduardo Vicente de Azevedo, sua mulher, Elisa Vidigal, João Franco e Manoel Moraes Pontes. A igreja elege como padroeiro São Pedro, em homenagem a Pedro Vicente de Azevedo, que era marido de Maria Amália Lopes de Azevedo e até 1957 dava nome à rua que hoje leva o nome dela.

A Paróquia foi criada oficialmente por D. Duarte Leopoldo e Silva, então arcebispo metropolitano de São Paulo. Na época, 1926, havia apenas seis mil moradores espalhados pelos 72 km² de extensão territorial do Tremembé.

Muitos foram os padres e leigos que ajudaram na Evangelização.

O primeiro padre a tomar posse na igreja de São Pedro foi o Padre Dr. Cícero Revoredo, que no dia 9 de janeiro de 1927 assume o governo da igreja e permanece durante dois anos no bairro.

Em 17 de fevereiro de 1929 assume o pastoreio da igreja o Padre João Bueno Gonçalves. Na sua missão, instalou a Capela do Santíssimo, reorganizou o Apostolado da Oração e a Pia União, que formaria um coro paroquial. Lançou as primeiras bases para a fundação da Conferência Vicentina, bem como para formar a Congregação Mariana.

Em 6 de janeiro de 1932, chega o novo pároco, Padre Eliseu Murai, que permanece apenas um ano à frente da Paróquia e vem a ser substituído pelo Padre Domingos Herculano Casarin, que inaugura solenemente no alto do campanário, ainda em construção, um belíssimo sino de cem quilos de peso.

Em 26 de novembro de 1939, Padre Antônio Trivinho assume a igreja. Depois dele passaram pela Paróquia de São Pedro vários padres: Padre Lourenço, Padre Cyrillo, Padre Antônio Anacleto Brandão Oliveira, Padre Antonio Júio Távora, Padre Felix das Dores Ortega e Padre Bruno Carra, que tomou posse no dia 28 de janeiro de 1956 e marcou a história da Paróquia nos 33 anos em que atuou como pároco. Muito próximo do povo de Deus, cativou aos poucos os paroquianos. Fez a instalação dos vitrais, do sino, que chama o povo para celebração, do relógio. Padre Bruno ajudou a organizar a Legião de Maria, colaborou para a edificação do Abrigo Frederico Ozanan, a construção da Creche Irmã Albina Cereda (atual CEI Pedro Apóstolo), para a  organização da Comunidade Santa Rosa de Lima, a estruturação do grupo jovem CUCA (Comunidade Unida com Amor) e o Centro de Promoção Humana João XXIII.

Após a saída de Padre Bruno, em 1988, o Padre Hermenegildo Ziero veio para a Paróquia, onde permaneceu por um curto período de tempo.

Entre junho de 1989 e janeiro de 1998, entre tantas mudanças, é nomeado o Padre Geraldo Alves Pereira, responsável por toda a reforma do prédio da igreja, a que se deve a aparência que tem atualmente.

Dia 8 de fevereiro de 1998 a igreja de São Pedro passa a ser administrada por Padre Maurício Luchini. Padre jovem e inovador, incentiva as pastorais, os movimentos, os grupos de serviços e reabre a creche. Divulga o SINE (Sistema Nacional de Evangelização). Seu empenho e entusiasmo foram  fundamentais para a  continuidade dos trabalhos de evangelização já iniciados pelas Irmãs Paroquiais de São Francisco, na área missionária ao lado do Recanto Nossa Senhora de Lourdes.  O projeto que transformou em realidade foi a construção da capela dedicada a Nossa Senhora Aparecida, fruto do esforço de muitos leigos e leigas, que também acreditaram na possibilidade de realização do referido empreendimento.

Em abril de 2009, com a transferência do Padre Mauricio para outra paróquia, quem chega para dar continuidade ao anúncio do Evangelho é  Padre Benedito Ferreira Borges. Homem de hábitos e jeito simples, acolhedor, marca a igreja com uma humildade singular na administração  e no atendimento às pessoas. Quem o ajudava como vigário paroquial era o Padre José Arnaldo Juliano dos Santos, além do diácono Carlaile Tornelli. Tanto o Padre Arnaldo como o diácono Carlaile nasceram no bairro Tremembé. Padre  Benedito ficou pouco tempo à frente da igreja  de São Pedro e renunciou à sua provisão antes do tempo previsto.

No dia 12 de outubro de 2010, Dom Joaquim Justino Carrera, bispo auxiliar da Região Santana, preside a Eucaristia e apresenta à comunidade o novo pároco da Igreja de São Pedro,  Padre Edimilson da Silva, jornalista, mineiro, pertencente ao clero da Arquidiocese de São Paulo. Na época, ele estava em Minas Gerais, em missão, como diretor da Radio Catedral FM. Ao tomar posse,  Padre Edimilson priorizou a espiritualidade unida à boa gestão dos recursos paroquiais. Passou a promover  tardes de louvor, adoração ao Santíssimo, formação para leitores e comentaristas, estudos bíblicos, além da catequese familiar, as celebrações mais orantes e com mais interatividade entre padre e assembleia. Intensifica  o atendimento espiritual semanal, a bênção nas casas e a visita aos enfermos, dá apoio à obra vicentina. Faz maior divulgação e valoriza as festividades de São Pedro, nosso padroeiro. Coordena a reforma da Creche Pedro Apóstolo, que passa a ser conveniada com a Prefeitura de São Paulo. Durante três anos,  Padre Edimilson teve como vigário paroquial o Padre Wilson Pereira dos Santos, que exercia os primeiros anos de ministério.

Padre Edimilson da Silva continua na igreja de São Pedro.